O Centro de Estudos sobre Liberdade de Expressão e Acesso à Informação (CELE) é um centro acadêmico dedicado à promoção e proteção do direito à liberdade de expressão e acesso à informação. Como tal, o CELE realiza pesquisas destinadas a enriquecer o debate público e atividades de educação, treinamento e reflexão nessa área.

Desde a sua criação em 2009, o CELE desenvolveu pesquisas, documentos de política e ferramentas para jornalistas, sociedade civil, governo e instituições acadêmicas dedicadas à defesa e promoção desses direitos, especialmente na América Latina.
Nós convidamos você a visitar o nosso site.

Em 2012, o CELE criou a Internet Freedom of Expression Initiative (iLEI), que visa promover a implementação de normas de direitos humanos, particularmente a liberdade de expressão, na internet. O ILEI trabalha com consultores em diferentes países, desenvolvendo pesquisas e organizando iniciativas de treinamento. O Observatório Legislativo Regional foi desenvolvido no âmbito do iLEI.
Convidamos você a ler nossas pesquisas e publicações no site do CELE.

Pressupostos e objetivos

A hipótese que deu origem à criação do Observatório Legislativo sobre Liberdade de Expressão propôs que, ao contrário do que vinha acontecendo com as leis de liberdade de expressão na região, as iniciativas legislativas relacionadas à regulamentação da Internet impunham uma tendência mais restritiva da liberdade de expressão. expressão, afetando potencialmente a circulação do discurso na América Latina.

Nas últimas duas décadas, houve um progresso significativo na agenda da liberdade de expressão em nível regional e, particularmente nos últimos 5 anos, essa tendência parece ameaçada, especialmente quando importantes debates são reabertos no âmbito da regulamentação da Internet.

Dada a falta de sistematização de informações completas e comparativas sobre o assunto, em 2017, o CELE, com o apoio da National Endowment for Democracy (NED), criou o Observatório Legislativo no âmbito da Iniciativa para a Liberdade de Expressão na Internet (iLEI )
O Observatório tem como objetivo monitorar o impacto do debate em torno da regulamentação da Internet na liberdade de expressão.
Além disso, visa sistematizar e facilitar o acesso a leis e projetos de lei que afetam a liberdade de expressão em nível regional; monitorar desenvolvimentos legislativos ao longo do tempo para detectar (quando possível) tendências; fornecer uma avaliação independente das leis e projetos de lei de acordo com as normas e os testes propostos pelo Sistema Interamericano de Direitos Humanos.

Metodologia

• 1 •
ANÁLISE DOCUMENTÁRIA

Foram coletadas informações de leis e projetos de lei dos últimos anos que podem afetar de alguma forma a liberdade de expressão tanto online quanto offline.
As leis coletadas datam de 1997 em diante (com exceção de alguns casos específicos) e, no caso dos projetos de lei, a partir de 2012. Os especialistas reuniram informações sobre o processo legislativo de cada lei e projeto e sobre outros aspectos relevantes para a circulação do discurso e o colocam em um modelo para realizar a análise específica (os modelos estão disponíveis neste site).

• 2 •
REGISTO DE DADOS

A análise incluiu aspectos qualitativos e quantitativos.
Para isso, o CELE desenvolveu, em colaboração com especialistas da área, uma estrutura para o banco de dados, definindo os critérios a serem analisados, os dados a serem registrados para cada uma das leis e o procedimento.

• 3 •
RESULTADOS DA INVESTIGAÇÃO

A pesquisa resultou em 4 artigos de cada um dos países que compõem o Observatório e um artigo que destaca a análise regional.
Os artigos argentinos e regionais eram responsáveis ​​pelo CELE. Buscamos visualizar as informações para aproximá-las dos usuários, incluindo estudantes, ativistas, jornalistas e acadêmicos, entre outros.

• 4 •
ÂMBITO GEOGRÁFICO

Os países analisados ​​foram selecionados de acordo com sua representatividade no nível regional.

Em 2017, a análise foi focada na Argentina, Peru, Equador e México. Já em 2018 foram incluídos Chile, Guatemala, Colômbia e Paraguai.

Equipe de trabalho

Para realizar a pesquisa e análise, o CELE trabalhou com especialistas locais em cada país.
Na Argentina, a pesquisa foi realizada internamente pelo CELE, que também desenvolveu a análise regional.


Agustina Del Campo
Gerente de Projeto e análise regional

Agustina Del Campo é Diretora do CELE desde 2016 e pesquisadora desde 2012.
Advogado e mestre em Direito Internacional e Direitos Humanos pela American University Washington College of Law. Pesquisador da Fulbright na Columbia University em Nova York (2015) e membro do grupo de especialistas do Projeto Global sobre Liberdade de Expressão e Acesso à Informação da mesma universidade. Foi consultora da Organização dos Estados Americanos e da Anistia Internacional Argentina, entre outros. É professora de graduação e pós-graduação em direito internacional, direitos humanos e internet, e autora e colaboradora em publicações sobre o assunto.

adelca9@palermo.edu
/ AgustinaDelCamp

Matías González
(CELE)

Matías é advogado formado pela Universidade de Buenos Aires. Ele se especializou em Direito Internacional Público. Concluiu o Diploma em Gestão e Controle de Políticas Públicas pela FLACSO e o Mestrado em Política e Economia Internacional pela Universidade de San Andrés, e trabalhou como assessor jurídico no Governo da Cidade de Buenos Aires, na Direção Nacional de Direitos Humanos do Ministério de Segurança da Nação e como Coordenadora de Assessores e Relações Institucionais no Ministério da Produção da Nação. Além disso, participou da negociação de Acordos Comerciais Internacionais sobre Comércio Eletrônico e Comércio de Serviços. Atualmente é coordenador do Observatório Legislativo Regional de Liberdade de Expressão do CELE.

mgonza232@palermo.edu


Andrés Calderón López
(Peru)

Andrés é advogado e jornalista. Mestre em Direito (LL.M.) pela Universidade de Yale. Fulbright Scholar. Professor da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP) e das Escolas de Pós-Graduação da PUCP, Universidade do Pacífico, Universidade Peruana Cayetano Heredia e Universidade Peruana de Ciências Aplicadas. Atualmente, é editor de opinião central e colunista do Diario El Comercio (Peru).


Daniela Salazar
(Equador)

1996 – 2000

Daniela é advogada formada pela Universidade San Francisco de Quito, onde atualmente trabalha como vice-reitora e professora da Faculdade de Jurisprudência. Ele tem um mestrado (LL.M.) na Columbia University. É professor de mestrado na Universidade Andina Simón Bolívar (sede do Equador) e no Centro Internacional de Estudos Políticos da Universidade Nacional de San Martín (Buenos Aires). Trabalhou como especialista em direitos humanos na Comissão Interamericana de Direitos Humanos e foi consultora e pesquisadora das Nações Unidas, UNESCO, Human Rights Watch, entre outros.


Juan Carlos Arjona Estevez
(México)

Juan Carlos é formado em Direito e mestre em Direitos Humanos pela Universidade Iberoamericana (México). Candidato a Doutor em Direito pela American University. Trabalhou no Programa de Direitos Humanos da Universidade Ibero-americana (México), que coordenou nos últimos dois anos. Ele foi Hubert H. Humphrey Fellow 2008-2009 (Fulbright Scholar) no Centro de Direitos Humanos da Universidade de Minnesota. Foi consultor do Escritório do México no Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, o Supremo Tribunal de Justiça, o Tribunal Superior de Justiça do Distrito Federal, a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (México) e a USAID México, através de vários projetos que implementa no México. Atualmente coordena o Projeto EnfoqueDH, implementado pela Chemonics


Franco Serra
(Argentina - Consultor)

2018-2020

Franco é advogado formado pela Universidade de San Andrés (UdeSA). Anteriormente, trabalhou com questões de transparência no Ministério de Desenvolvimento Social da Nação e também colaborou no Projeto Inocência Argentina. Foi assistente de pesquisa do Centro de Estudos Anticorrupção da UdeSA e do Departamento de Direito da mesma universidade. Até agosto de 2020 atuou como Coordenador do Observatório Legislativo Regional de Liberdade de Expressão do CELE. Atualmente é Consultor do Observatório Legislativo Regional de Liberdade de Expressão do CELE.

fserra7@palermo.edu


Daniel Caballero Olmedo
(Equador)

2017-2019

Advogado da Universidade San Francisco de Quito, com subespecialização em direitos humanos. Atuou como advogado de serviços jurídicos e de ligação com a comunidade no Asylum Access Ecuador, e fazia parte da equipe de litígios estratégicos. Atualmente, é consultor da Secretaria Jurisdicional Técnica do Tribunal Constitucional do Equador.


Maia levy daniel
(Argentina)

2017-2018

Ela é advogada formada pela Universidade Torcuato Di Tella. Ele está estudando o Mestrado em Políticas Públicas na mesma Universidade. Foi editora da Revista Argentina de Teoria Jurídica da UTDT e realizou intercâmbio na Université Paris X. Trabalhou como advogada na área de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais na Associação de Direitos Civis (ADC) e colaborou com Human Vigilância dos derechos. Anteriormente, ele trabalhou na Secretaria Jurídica e Técnica do Governo da Cidade de Buenos Aires. É professora assistente de Fundamentos de Direito Privado da UTDT. Ela foi pesquisadora da Iniciativa para a Liberdade de Expressão na Internet - iLEI até março de 2018.

mlevy3@palermo.edu
/ MaiaLevyDaniel


Luisa Fernanda Isaza Ibarra
(Colômbia)

Luisa Fernanda Isaza Ibarra é advogada e pesquisadora, formada pela Pontificia Universidad Javeriana em Bogotá, Colômbia. É Coordenadora de Defesa e Atenção a Jornalistas da Fundação para a Liberdade de Imprensa, onde trabalha na defesa e promoção da liberdade de expressão e acesso à informação pública, com ênfase especial no ambiente digital. Ela também é professora na cadeira de Direito e Jornalismo na Pontificia Universidad Javeriana.


Alvaro Castellanos
(Guatemala)

Álvaro é pesquisador na Guatemala no Observatório Legislativo do CELE. Ele é advogado e possui um Master of Laws (LL.M.) com especialização em Direito Comparado e Internacional pela Columbia University. Ele é sócio fundador do escritório de advocacia "Consortium Legal". Ele participou como juiz ad hoc no caso “Tiu Tojín vs. Guatemala ”perante a Corte Interamericana de Direitos Humanos. Foi decano da Faculdade de Direito da Universidade Rafael Landívar.


Patricia Pena
(Chile)

Patricia é pesquisadora no Chile no Observatório Legislativo do CELE. É mestre em Comunicação, Informação e Sociedade pela London School of Economics and Political Science (LSE). Mestre em Comunicação pela Universidade Diego Portales do Chile. Ele fez parte do Programa de Liberdade de Expressão e Cidadania do Instituto de Comunicação e Imagem da Universidade do Chile. Pesquisadora do Centro de Estudos sobre Inclusão Digital e da Sociedade do Conhecimento da Universidade de La Frontera e da FLACSO Chile. Ele é membro fundador e parte do Conselho de Administração da Girls in Tech Chile Foundation e membro do Conselho de Administração da Protected Data Foundation.


Camilo Filartiga
(Paraguai)

Camilo é pesquisador no Paraguai do Observatório Legislativo do CELE. Ele é advogado da Universidade Católica de Assunção, onde atualmente trabalha como professor na Faculdade de Direito da UC. Mestre em Estudos Políticos Aplicados pela Fundação Internacional e Ibero-Americana de Administração e Políticas Públicas do Governo Espanhol. Especialista em ciências sociais com ênfase em desenvolvimento humano pela FLACSO Paraguai. Pesquisador nacional do Mecanismo de Revisão Independente do Governo Aberto da Parceria do Governo Aberto.


Ximena Jimenez Garcia
(México - Assistente)

Estudante de Direito na Universidad Iberoamericana na Cidade do México, atualmente é assessora do Supremo Tribunal de Justiça da Nação.

Martina Rapido Ragozzino
(Equador - Consultor)

Martina é advogada formada pela Universidade San Francisco de Quito e possui mestrado (LLM) em direito internacional dos direitos humanos pela Universidade de Notre Dame. Ela atuou como assistente do vice-presidente do Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas e pesquisadora da área de direitos humanos do think thank Southern Affairs. Trabalhou como coordenadora de projetos da Faculdade de Jurisprudência da Universidade San Francisco de Quito, onde desenvolveu projetos com diferentes organizações internacionais para a defesa e promoção dos direitos humanos da academia, enquanto liderava o Grupo de Pesquisa sobre Liberdade de Expressão. Ele conduziu litígios estratégicos em nível nacional e internacional, tanto na Clínica de Interesse publicada pela Universidade de San Francisco quanto em consultório particular. É coautora do livro "Reflexões sobre o direito à liberdade de expressão". Atualmente, é advogado na RFK Human Rights.

Mariana Valente
(Brasil - Consultor)

Mariana é coordenadora do capítulo brasileiro do Creative Commons e representante do Brasil em seu conselho internacional. Doutora em Sociologia Jurídica pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), onde também obteve o título de mestre e de direito. Durante seu doutorado, ela passou um período como pesquisadora visitante na Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA). Mariana também obteve um diploma em direito alemão da Universidade LMU em Munique, Alemanha, com uma bolsa do DAAD. Foi pesquisadora do Programa de Ligação na Yale Law School (EUA). Ele é especialista em propriedade intelectual pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO Summer School).

É também pesquisadora no Centro de Direito e Democracia do CEBRAP (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) desde 2008. Entre 2012 e 2014, Mariana foi professora da Faculdade de Direito da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e pesquisadora do seu Centro de Tecnologia. e sociedade. Foi também coordenadora jurídica do MAM-SP (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

Mariana pesquisa direitos humanos e políticas da Internet, direitos autorais e acesso à cultura, conhecimento e educação, gênero, direitos da mulher e tecnologia. É autora / organizadora dos livros "Da Rádio ao Streaming: Ecad, autor e música no Brasil" (Azougue / FGV, 2016), "O Corpo é o Código: Estratégias Legais para Confrontar ou Vingar a Pornografia" (InternetLab, 2016 ), »Deu nos Autos: internet no banco dos reús» (AASP, 2017), «Manual de direção autoral para museus, bibliotecas e arquivos» (FGV, 2017), «Memórias Digitais: o estado da digitalização de serviços no Brasil »(FGV, 2017) e“ A Construção do Direito Autoral no Brasil ”(Letramento, 2019).

Thiago Oliva
(Brasil - Consultor)

Coordenador de pesquisa sobre Liberdade de Expressão no InternetLab. Doutoranda em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FD-USP). É mestre em Direitos Humanos (2015) pela mesma instituição, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Bacharel em Direito pela mesma universidade (2011). Certificado em direito alemão na Ludwig-Maximilians-Universität München (2010/2011) com uma bolsa do Deutscher Akademischer Austauschdienst (DAAD). Ele recebeu o Prêmio de Melhor Trabalho Acadêmico no Primeiro Concurso Nacional de Estudos Acadêmicos, promovido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e o Presidente Sérgio Vieira de Mello (2012) no Brasil, além do prêmio pelo melhor artigo acadêmico na categoria de pós-graduação no III Concurso de Monografia da União Europeia, promovido pela Delegação da União Europeia no Brasil (2013). Autor do livro «Minorias sexuais e os limites da liberdade de expressão no Brasil» (Juruá, 2015).

Victor Pavarin Tavares
(Brasil - Consultor)

Estagiário de pesquisa no InternetLab. Estudante de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP), onde faz parte do programa de dupla graduação nas universidades Lyon 3, Lyon 2 e Saint Étienne, na França. Participou do Centro de Direito, Internet e Sociedade (2017), do Workshop de Direito Ambiental (2017), do Projeto de Promoção dos Direitos dos Migrantes (2017-2018) e do Grupo de Estudos sobre Direito e Regulação do Capitalismo ( 2016), todos vinculados ao FDUSP. Concluiu o curso de verão de interface web do IME-USP com HTML, CSS e Javascript (2018).

Josefina Del Campo
(Argentina - Comunicação e planejamento CELE)

Imagem do placeholder de Victor Cabezas
(Colômbia - Consultor)

Victor é especialista em direitos humanos e direito constitucional. Mestre em Direito pela Universidade Externado da Colômbia, Professor do Colégio de Jurisprudência da Universidade San Francisco de Quito e pesquisador da Universidade Los Andes de Bogotá, Colômbia. Atualmente trabalha como advogado associado ao escritório Pérez Bustamante & Ponce em Quito, Equador. Ele trabalhou em projetos com o Instituto Interamericano de Direitos Humanos e dirigiu um programa na Rádio da Assembleia Nacional. Além disso, é colunista da Revista Vistazo.