LIBERDADE DE EXPRESSÃO NO MÉXICO

19 LEIS

69 PROJETOS

INFOGRÁFICOS

[id do visualizador = »2546 ″]
[id do visualizador = »2549 ″]
[id do visualizador = »2550 ″]
[id do visualizador = »2579 ″]

COMPATIBILIDADE COM O QUADRO INTERAMERICANO
(Análise tripartida)

[id do visualizador = »4914 ″]
[id do visualizador = »4913 ″]
[id do visualizador = »2546 ″] [id do visualizador =» 2549 ″]
[id do visualizador = »2550 ″] [id do visualizador =» 2579 ″]

COMPATIBILIDADE COM O QUADRO INTERAMERICANO
(Análise tripartida)

[id do visualizador = »4914 ″] [id do visualizador =» 4913 ″]
Documento Regional

O direito à liberdade de expressão sofreu grandes mudanças nos últimos vinte anos nas Américas.
Em 1998, o Escritório do Relator Especial para a Liberdade de Expressão, vinculado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, iniciou a publicação de relatórios temáticos que serviram de guia para toda a região, estabelecendo padrões nessa área. Em 2001, a Corte Interamericana de Direitos Humanos resolveu os primeiros casos relacionados ao direito à liberdade de expressão e atualmente possui 21 sentenças que analisam algum aspecto desse direito, ao qual são acrescentadas duas opiniões consultivas e várias decisões. medidas provisórias ligadas a dez casos específicos. Além disso, dentro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, há um número significativo de relatórios de admissibilidade, acordos de solução amistosa e relatórios de mérito, e um número importante de relatórios temáticos foi preparado por meio da Relatoria. o conteúdo do direito à liberdade de expressão e seus vários aspectos.