LIBERDADE DE EXPRESSÃO NO CHILE

17 LEIS

13 PROJETOS

INFOGRÁFICOS

[id do visualizador = »5219 ″]
[id do visualizador = »5220 ″]
[id do visualizador = »5232 ″]
[id do visualizador = »5231 ″]

COMPATIBILIDADE COM O QUADRO INTERAMERICANO
(Análise tripartida)

[id do visualizador = »4914 ″]
[id do visualizador = »4913 ″]
[id do visualizador = »2530 ″] [id do visualizador =» 2531 ″]
[id do visualizador = »5232 ″] [id do visualizador =» 5231 ″]

COMPATIBILIDADE NO QUADRO INTERAMERICANO
(Análise tripartida)

[id do visualizador = »4914 ″] [id do visualizador =» 4913 ″]
Documento Regional

Este artigo propõe uma análise da situação no Chile em relação à liberdade de expressão e circulação de discursos com base no estado do corpo jurídico existente de 1997 a 2018 e dos projetos de lei promovidos de 2012 até a presente data. atualizou o arcabouço jurídico em relação aos princípios básicos para garantir a liberdade de expressão e circulação do discurso como um direito humano, por exemplo, reconhecendo a existência de estações comunitárias de rádio e televisão ou encerrando a censura. Mas, como aponta o Relatório Especial sobre o Chile (2017) sobre o assunto, após a última visita do Relator para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), persistem situações que constituem "heranças da ditadura" e Há questões e desafios pendentes, como a inexistência de uma lei sobre as mídias sociais em geral e, mais ainda, a validade de sanções penais por lesão ou calúnia, definidas pelo Código Penal de 1874, em relação a ex-representantes de as forças armadas, hoje processadas por violações dos direitos humanos. O contexto criado pelo acesso e uso em massa da internet, da web social e das plataformas de redes sociais como espaços de interação social, construção de histórias e discursos, discussão pública e expressão de opiniões também criou novos cenários. Atualmente, observa-se que, como em outros países da região, informações digitais falsas (notícias falsas), “discurso de ódio”, circulam e distribuem por meio dessas plataformas de distribuição de conteúdo e informações digitais. conteúdo que pode ser considerado como denegrindo pessoas ou tópicos, entre outras questões. Existe uma tensão crescente quanto ao escopo da regulamentação em relação à liberdade de expressão, circulação de discursos e novos desafios para a legislação.